Dieta: como fazê-la corretamente?



Dieta: como fazê-la corretamente?

Endocrinologista do HCor alerta para riscos das dietas da moda no combate à obesidade e dá dicas sobre como reduzir as quantidades

 


Emagrecer requer mudanças de hábitos de vida como alimentação, atividade física, controle de doenças associadas, suspensão do cigarro, álcool, dentre outros, e isso não se faz de um dia para o outro. Uma das regras para combater a obesidade é ter uma alimentação saudável, que deve ser variada e saborosa, contendo todos os nutrientes necessários para a manutenção da saúde e para o bom funcionamento do organismo.


As dietas muito restritivas privam o organismo desta variedade e, portanto, não contêm todos os nutrientes necessários. É errado restringir a dieta a apenas um grupo alimentar e as refeições precisam ser equilibradas, além de fornecer todo o tipo de nutriente necessário para o organismo. Saladas, legumes, verduras e frutas podem tornar o prato ainda mais apetitoso e rico em vitaminas. Todavia, é importante que os demais nutrientes como carboidratos e proteínas também estejam presentes em todas as refeições.


Para a endocrinologista do HCor - Hospital do Coração -, Dra. Laura Frontana, comer rápido também não é interessante, pois a digestão que se inicia na boca, através da mastigação, acaba não sendo feita corretamente. "Comendo rápido há um maior consumo de calorias, uma vez que a sensação de saciedade pode levar até vinte minutos para acontecer e, desta forma, até que o indivíduo se sinta saciado, a ingestão calórica poderá ter sido exagerada". O ideal, segundo a endocrinologista, é mastigar várias vezes o alimento ou até que ele fique sem grandes pedaços sólidos. A refeição deve durar pelo menos 20 minutos”, esclarece Dra. Laura.


A obesidade é uma condição em que ocorre o acumulo anormal ou excessivo de gordura no organismo, resultante de um balanço energético positivo. Fatores ambientais, culturais, hormonais e genéticos, contribuem para o balanço energético. “Na tentativa de não promover o acúmulo excessivo de gordura em nosso organismo, devemos adequar a ingestão calórica e incrementar a atividade física, como estratégia para ajuste do peso corporal”, pondera Dra. Laura. Alguns aspectos são importantes e podem auxiliar no objetivo de combater a obesidade.


Confira as dicas da endocrinologista do Hospital do Coração:


Tamanho das porções

Devemos reduzir a quantidade de alimentos nas refeições adequando o volume em quantidades e porções menores. A redução em 25% do tamanho das porções leva a redução de 10% na quantidade de energia ingerida;
Qualidade dos alimentos: alimentos com alta porcentagem de gordura em sua composição tem alta densidade energética (calorias). Assim, devemos reduzir ao máximo a quantidade de gorduras ingeridas, e consumir carboidratos e proteínas de forma balanceada;


Álcool

Recomenda-se moderação em seu uso, em virtude do alto teor calórico e também por aumentar os níveis de triglicerídeos no sangue. Devendo o seu uso desestimulado;


Glúten

Não há evidencias de que o glúten seja responsável pelo ganho de peso. Na verdade qualquer alimento com ou sem glúten, que contenha amido (como farinhas de trigo, aveia, milho ou mandioca), quando consumidos em excesso levam ao ganho de peso;


Açúcar

É um alimento com alto teor calórico, que normalmente acompanha preparações com grande porcentagem de gorduras em sua composição (bolos, tortas, sorvetes, chocolates) ou por hábito também é acrescido aos sucos, infusões e refrigerantes, o que não é recomendável;


Crianças

As crianças precisam ser desestimuladas a ingerir bebidas lácteas acrescidas de açúcar, bem como refrigerantes e sucos industrializados. Não devemos oferecer produtos industrializados como salsichas, nuggets, batatas fritas e salgadinhos. Pois são sedutoras fontes de gordura e sal em excesso;


Frutas

São importantes fontes de vitaminas, fibras e sais minerais e devem ser ingeridas diariamente, com moderação. Preferencialmente frescas e inteiras, evitando sucos e formulações trituradas. Sem açúcar ou mel;


Fibras

Alimentos ricos em fibras promovem maior sensação de saciedade e devem estar presentes em todas as refeições. Além de possuírem baixo teor energético e podendo ser consumidos em maior quantidade, como as verduras e os legumes;


Atividade Física

Exercícios aeróbicos promovem maior utilização dos estoques de gordura como substrato energético e está associada a redução significativa da gordura corporal total. Recomenda-se a prática diária de 30 a 60 minutos por dia duas a cinco vezes por semana;


Dietas da moda devem ser evitadas

A perda e manutenção do peso dependem da mudança de hábitos antigos e introdução de bons e novos hábitos alimentares e de atividade física. É um processo que precisa e deve ser experimentado por todos que almejam uma vida saudável e um velhice sem limitações.


Sono

Pessoas que não dormem bem tendem a GANHAR PESO. Estabeleça horários para dormir, em ambiente tranquilo, sem televisores. Não faça exercícios antes de dormir e não levante no meio da noite para comer.

 

 

    • Parceiro de Conteúdo

 

                logo ABQV p