O quê você quer perder: peso ou gordura?



O quê você quer perder: peso ou gordura?

Existe uma diferença brutal entre um e outro e isso pode custar a sua boa saúde se a opção não for a correta


Logo após períodos de exageros, como o de festas, é bastante comum as pessoas perceberem que exageraram e entrarem rapidamente em uma dieta para perda de peso. Será que esse conceito está correto? Para que o peso corpóreo esteja dentro de limites saudáveis é importante que seja preservada uma correta proporção entre o peso gordo (gordura corporal) e de massa magra (ou massa livre de gordura/em especial, a musculatura – ver tabela 1).

 

tabela


Para que essa porcentagem de gordura em relação ao peso total seja avaliada dispomos de diferentes metodologias, cada qual com suas vantagens e desvantagens. Entre outras, podemos citar: mensuração de dobras cutâneas (método mais conhecido e utilizado, por ser mais prática, simples, de menor custo, além de apresentar alta fidedignidade se o aparelho for manuseado corretamente), bioimpedância, ressonância magnética e tomografia computadorizada.

 

Independente do método de aferição escolhido é importante que ele seja mantido (com todos os detalhes da sua realização) nas medições comparativas subsequentes. Por exemplo, não se deve comparar uma porcentagem de gordura aferida por mensurações das pregas cutâneas com outra realizada por impedância bioelétrica.


Por adotarem métodos de aferição diferentes, seus valores não representam números com precisão absoluta. As tabelas comparativas entre o avaliado e as faixas de normalidade apresentam grandes disparidades entre um método e outro.


Essas informações são válidas para que ninguém se torne um escravo da balança. Para não existirem preocupações desnecessárias, e nem frustrações, deve-se levar em consideração que, quando se inicia um programa de treinamentos após um período de inatividade, alterações do metabolismo podem levar a um aumento inicial do peso.


Fatores como aumento do volume sanguíneo e da densidade óssea, além de um ganho de massa muscular devem ser considerados. Assim sendo, ao serem computados conjuntamente o peso e a porcentagem de gordura corporal, podemos analisar com dados mais sólidos e confiáveis eventuais desvios na forma física e na saúde.


A determinação de metas para peso e porcentagem de gordura faz parte da rotina de nutricionistas, médicos do esporte e professores de Educação Física. Seu sucesso vai depender em grande parte da persistência e disciplina do orientado.


Para que um trabalho de perda de peso, às custas de gordura, seja realizado com maior sucesso, além de uma dieta compatível com as necessidades individuais deve-se realizar uma atividade física que conste de atividades aeróbias (como caminhada, corrida, ciclismo, natação etc) associada a exercícios de musculação. Isso será importante para que sejam preservadas as estruturas musculares e, consequentemente, a porcentagem de massa magra.


Uma dica para que se minimizem erros de medição e não se crie ansiedade quanto à perda de peso é: pesar-se apenas uma vez por semana, sempre no mesmo horário, na mesma balança e sempre sem roupas. Isso será mais real, prático e estimulante do que uma pesagem diária. Sempre que possível é ideal a conferência conjunta da porcentagem de gordura. Não se esqueça: fórmulas mágicas não existem. Orientação nutricional e atividade física na medida certa constituem a chave para que peso e quantidade de gordura estejam em proporções corretas e saudáveis.


Lembre-se que os padrões de beleza impostos pela sociedade são, na maioria das vezes, incompatíveis com saúde e bem estar quando aplicados ao seu tipo físico. O melhor é que cada um respeite seu padrão de estrutura corpórea, que é determinado em boa parte por sua herança genética. A partir daí, não é difícil um planejamento coerente e que só busque bem-estar físico e mental.


* Daniel Barsottini é personaltrainer, mestre em Ciência do Movimento, pós-graduado em Fisiologia do Exercício e Biomecanica

Comment