A culpa pelo trabalho e a maternidade



A culpa pelo trabalho e a maternidade

Tudo na vida é escolha e em toda escolha há uma renúncia. Quando escolhemos trabalhar fora ou ficar com os filhos nunca sabemos se foi a melhor opção e nós nunca saberemos.

 

Uma pesquisa recente da Universidade de Harvard revelou que os filhos das mães que trabalham fora são mais responsáveis e autônomos. Outro estudo norte-americano também apontou que crianças cujas mães trabalham são melhores alunas.


Tais resultados acabaram servindo como um alento a tantas mães que, em sua maioria, costumam sentir culpa por ter que abrir mão de estar mais tempo com os filhos para se dedicarem à carreira.


Para a especialista em autoconhecimento e inteligência comportamental, Heloisa Capelas, os resultados são excelentes e confirmam exatamente o que ela tem analisado nos jovens que participam de seus cursos de autoconhecimento no Centro Hoffman. “Costumo dizer às mães que quando os filhos forem adultos eles sempre terão queixas delas e de suas infâncias, então, o melhor que elas podem fazer agora, é viver como acreditam ser melhor. Isto é, as mães, antes de qualquer coisa, são seres humanos que têm sonhos e querem realizá-los. Ir atrás do sucesso e da felicidade é obrigação de todos nós”.


A especialista, que é mãe de quatro filhos e nunca parou de trabalhar, completa que as mães não podem cair em armadilhas, como, por exemplo, dizer que não viveram porque os filhos não deixaram. “Dar a desculpa que trabalha para dar um futuro melhor para os filhos também não vale, pois sempre fazemos o que achamos melhor. Então, se trabalhamos é porque queremos. Nós valorizamos o dinheiro e uma vida melhor e não nossos filhos”. Para as mães que optam em ficar em casa para cuidar das crianças, também vai um recado. “Se não trabalhamos para ficar com eles isso deve ser um prazer e não por culpa ou por falta de opção, pois sempre a temos”.

Tudo na vida é escolha e em toda escolha há uma renúncia. “Quando escolhemos trabalhar fora ou ficar com os filhos nunca sabemos se foi a melhor opção e nós nunca saberemos. Escolher é sempre risco e o que precisamos levar em conta é que escolhemos sempre por nós. Filhos são sempre desculpa e/ou justificativa de nossas escolhas”.

Heloisa ressalta que as mães devem ser suficientes, mas não se preocuparem em ser perfeitas, pois o ideal e a perfeição não existem. “O que me dirigiu esses anos todos, minha filha mais velha tem 33 anos, foi o pensamento: Vou ensinar a ‘Ser Feliz’, sendo. E ensinar o autocuidado e a buscar sempre o amor e o melhor, fazendo por mim para que eles aprendam a fazer por eles”.

 

 

    • Parceiros de Conteúdo

 

                logo ABQV p                                Dell Ambiente