Vegetarianismo na gravidez, pode?



Vegetarianismo na gravidez, pode?

Descubra como a dieta sem carnes influencia na gestação e como fazer substituições podem ajudar a suprir sua falta

 

A opção de tornar-se vegetariano ou vegano exige uma série de modificações no cardápio e em aspectos cotidianos da vida. Muitas mulheres, que abdicaram do consumo da carne e/ou de produtos de origem animal, costumam ter dúvidas se durante a gestação, faltará algum nutriente importante para o bebê.


É possível ser uma gestante saudável sem consumir proteínas animais? Estudos realizados na comunidade vegana The Farm, nos EUA, apontam que as mulheres veganas podem ter uma gravidez saudável, bem como bebés e crianças podem seguir uma dieta isenta de produtos animais com segurança e vantagem.


Como não ingere lacticínios, essa gestante tem de prestar muita atenção aos nutrientes fornecidos por estes alimentos, como o cálcio e as vitaminas D e B12, além das proteínas. A gestante ovo-lacto-vegetariana, terá também de prestar atenção ao ferro e ao zinco. A gestante deve consumir diariamente de alimentos ricos em ferro, como feijão, grão de bico e frutas secas.


Segundo a nutricionista especializada em dietas vegetarianas Mariana Marchetti, todos os nutrientes que a carne apresenta podem ser encontrados em alimentos de origem vegetal. "Além dos inúmeros benefícios encontrados em optar por uma dieta sem carnes, como: menor risco de doença cardiovascular, menor risco de adquirir alguns tipos de câncer, menor chance de apresentar pedras na vesícula, insuficiência renal, diabetes, obesidade, osteoporose, etc. Os vegetarianos costumam apresentar menor pressão arterial, ter um menor consumo de colesterol e gordura saturada, ter um maior consumo de fibras, vitaminas e minerais", explica.


Cristina Ferreira, engenheira química e gerente industrial da Superbom, aponta outra vantagem: as folhas verdes são fontes naturais de ácido fólico (vitamina B9), essencial no primeiro trimestre de gravidez, porque reduz em 50% a incidência de má formação do tubo neural do bebê. “Isso não exclui a necessidade de suplementação”.


Veja a lista de alimentos essenciais apontada pela nutricionista para as grávidas vegetarianas:


- Verduras verde-escuras (couve, escarola, rúcula, espinafre, agrião);
- Alimentos de cor amarelo/laranja (mamão, laranja, cenoura, abóbora);
- Frutas cítricas (limão, laranja, abacaxi);
- Frutas e legumes avermelhados ( tomate, goiaba, melancia) ;
- Grãos e sementes ( semente de girassol, gérmen de trigo, amêndoas, avelãs);
- Trocar o feijão comum pelo feijão azuki e feijão branco são ótimas escolhas para acrescentar mais cálcio ao dia;
- Incluir a semente de linhaça (triturada na hora) e o óleo de linhaça, pelo ômega 3;


E sempre deixar na noite anterior do preparo os feijões de molho em água e cozinhá-los no dia seguinte em uma água nova. Esta pratica reduz a quantidade de fitato queauxilia na retenção de ferro e zinco pelo organismo;


"É aconselhável também o consumo diário de sucos verdes (couve com suco de laranja ou abacaxi) para aumentar a ingestão de ferro e cálcio. Incluir também uma boa porção de verdura verde-escura no almoço e jantar e sempre com uma fonte de vitamina C para ajudar na absorção do ferro vegetal (limão, acerola, abacaxi, laranja- Um modo prático é tomar 1/3 de copo de suco de limão com água (espremer um limão grande e acrescentar um pouco de água para conseguir consumir)", diz em entrevista ao Veggie & Tal.


• Com informações do Centro Vegano e Veggi & Tal

 

 

 

    • Parceiro de Conteúdo

 

                logo ABQV p