Diet x light: por que são diferentes?



em Saúde
Diet x light: por que são diferentes?

Apesar da confusão, há características e necessidades diferentes para o uso de cada um


Para qualificar o tratamento e o cuidado ao paciente diabético, há a necessidade de buscar estratégias efetivas mediante uma abordagem completa envolvendo os elementos fisiopatológicos, psicossociais, educacionais e de reorganização da atenção à saúde. A fim de melhorar o aporte nutricional para os pacientes, a indústria criou adoçantes e os produtos dietéticos, por exemplo, os produtos diets e lights.


Alimentos diets são formulados e produzidos para que sua composição atenda necessidades dietoterápicas específicas de pessoas com exigências físicas, metabólicas, fisiológicas e/ou patológicas individuais. Com restrição de açúcares (mono e dissacarídeos), sódio, gorduras, colesterol, aminoácidos ou proteínas. O alimento diet, por exemplo, nem sempre é um alimento "sem açúcar"; na maioria das vezes há restrição de algum nutriente, seja esse carboidrato (açúcares), gordura, proteína ou outros, por isso o portador de DM, deve ser orientado a analisar o rótulo, pois nem sempre o diet poderá ser a melhor opção.


O termo light é utilizado para alimentos produzidos de forma que sua composição tenha redução em, no mínimo, 25% do valor calórico total e/ou alguns nutrientes como: açúcares, gorduras saturadas, gorduras totais, colesterol e sódio, quando comparado ao valor normal (Inmetro, 2004).


As dificuldades apresentadas pelos pacientes diabéticos, para a obtenção do controle metabólico, estão relacionadas à sua adesão a um plano alimentar, ao incremento da atividade física e ao seguimento da terapêutica medicamentosa. Assim, antes de iniciar a orientação específica sobre o diabetes, é necessário conhecer os padrões individuais de resposta do paciente em relação aos seus sentimentos, angústias, ansiedades, conflitos e necessidades, estabelecendo um vínculo efetivo para, posteriormente, em conjunto, traçar estratégias a curto, médio e longo prazo, direcionadas a alcançar o controle metabólico.


A inclusão de informações sobre o uso adequado de adoçantes e produtos dietéticos é uma necessidade nas atividades assistenciais aos pacientes com DM, sendo indicado os produtos diets e não lights. O uso consciente e adequado desses podem melhorar a qualidade de vida desses pacientes, equilibrando o controle glicêmico dos mesmos.


*Sabrina B. A. Faria é professora do curso de Nutrição da Anhanguera de Niterói.

Comment