Como combater o sobrepeso sem radicalizar?



em Saúde
Como combater o sobrepeso sem radicalizar?

Nutróloga explica a necessidade de manter dietas sustentáveis e, acima de tudo, nutritivas


Um estudo publicado em janeiro no New England Journal of Medicine afirma que a obesidade ainda é uma doença que desafia os profissionais da saúde. A obesidade está relacionada a sete problemas entre as dez principais causas de morte atuais nos Estados Unidos. O tratamento deve ser eficaz, tendo em vista que dois terços da população americana são obesos ou acima do peso. A médica nutróloga da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), Dra. Vivian Suen, diz que não existe dieta mágica e com rápidos resultados que seja eficiente para pacientes obesos. O ideal, de acordo com a Dra. Vivian, é o acompanhamento nutrológico clínico.


Para a médica nutróloga da ABRAN, há riscos que não podem ser desconsiderados em uma dieta. "É necessário observar e avaliar o paciente. Indicar uma dieta 'da moda' ou de muito baixo valor calóricopara aquela pessoa pode gerarcomplicações, dentre elas, a acidose metabólica – uma alteração no metabolismo. Nesse quadro, o pacientepode apresentar sintomas como dores de cabeça, náusea, sudorese, tontura", afirma.


Dra. Vivian Suen destaca a importância da reeducação alimentar e do equilíbrio em uma dieta. "A reeducação alimentar deve fornecer 55% da necessidade calórica total diária na forma de carboidratos, de preferência complexos por apresentarem baixo índice glicêmico, como arroz integral, quinoa, soja, etc; 15% de proteínas provenientes de carnes magras, peixes, ovos, leite e derivados, soja e outras leguminosas, vitaminas, minerais; 25 % de gorduras provenientes de alimentos de origem vegetal, como os óleos", esclarece a médica nutróloga.


Além disso, o exercício físico é muito bem vindo, pois auxilia no aumento do gasto calórico e no ganho de massa muscular. O aumento da massa muscular, por sua vez, aumenta o gasto calórico. "A restrição calórica sem o exercício físico também gera a perda de peso, porém fica mais difícilchegar às metas estabelecidas entre paciente e médico. Além disto, ocorre a perda de tecido adiposo e de massa muscular", alerta a Dra. Vivian.


O conceituado médico americano Dr. Richard L. Atkinson, que atua há mais de 30 anos no campo da obesidade, palestrou no último Congresso Brasileiro de Nutrologia sobre a dieta de baixo consumo de calorias. De acordo com o Dr. Atkinson, essa dieta consiste, entre outros aspectos, na ingestão de 10 a 12 calorias por quilo do paciente. Essa dieta traz excelentes resultados, mas, de acordo com a Dra. Vivian Suen, deve ser feita por um curto período de tempo, e com acompanhamento médico. "O problema de qualquer dieta é a manutenção da perda de peso em longo prazo, por isso a importância de uma dieta equilibrada. O médico nutrólogo vai avaliar a evolução clínica do paciente, quais as repercussões no aparelho cardiovascular, no metabolismo da glicose, dos lipídios e também possíveis deficiências de vitaminas e minerais" conclui.

 

 

    • Parceiros de Conteúdo

 

logo ABQV p                             logo tricosalus