Óleo de coco não faz milagres e pode ser prejudicial



por Renata Menegatti
em Saúde
Óleo de coco não faz milagres e pode ser prejudicial

Seus efeitos no processo de emagrecimento e prevenção de doenças não possui respaldo científico

 

Sabe tudo aquilo o que você ouviu sobre o óleo de coco ser milagroso para emagrecer, melhorar a imunidade e até prevenir doenças degenerativas e câncer? Esqueça. Médicos brasileiros, impulsionados pela moda do óleo de coco, têm feito esforços para mostrar que esses benefícios não são comprovados.

 

A Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) e Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem) se posicionaram contra a prescrição do óleo de coco para a perda de peso e terapias de emagrecimento devido à falta de evidências científicas sobre esse efeito.

 

Outro ponto reiterado pela Abran é o fato de o óleo de coco não possuir propriedades bactericidas ou que protejam contra doenças degenerativas.

 

Além disso, é preciso se lembrar que o óleo de coco é uma fonte de gordura e tomá-lo como remédio pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, pois pode aumentar o colesterol bom e o ruim, portanto, deve ser consumido com cautela.

 

Apesar disso, o óleo de coco possui sim um efeito benéfico indubitável: o de hidratação para pele e cabelos, afinal, é rico em gorduras e pode sim ajudar a manter pele e cabelos hidratados, embora suas partículas sejam grandes para penetrar a fundo nos cabelos.

 

A lição disso tudo? Milagres alimentares não existem. O segredo da boa saúde é o bom senso e a moderação. Não acreditar em alimentos salvadores e nem demonizar todos os outros. O equilíbrio é a chave do sucesso também nesse aspecto.

 

Fonte: Folha de S. Paulo

 

 

    • Parceiro de Conteúdo

 

                logo ABQV p