Saúde e vida na cidade grande podem combinar?



em Saúde
Saúde e vida na cidade grande podem combinar?

Dá para viver bem mesmo com a correria da vida nas grandes cidades com algumas dicas

 

O tempo médio gasto pelos paulistanos no trânsito é de 3 horas, tanto para quem usa automóvel quanto transporte público, conforme a Pesquisa sobre Mobilidade Urbana feita pelo IBGE. Diante de uma rotina cada vez mais corrida, reservar tempo para cuidar da saúde e alimentação tem se tornado um desafio para muitos paulistanos.


A vida corrida das grandes cidades faz com que muitos habitantes tenham hábitos irregulares, como se alimentar sempre na rua, pular refeições, consumir café em excesso, substituir refeições por congelados e outros produtos industrializados. Isso faz parte da rotina de quem não encontra tempo para se dedicar à uma alimentação equilibrada e pode afetar não apenas a saúde, como também a produtividade.


Para ajudar os paulistanos a terem uma vida mais saudável, Cleonice Pereira, nutricionista que atua pelo aplicativo GetNinjas e também no Centro de Nutrição 8 Que Curam, relacionou uma série de recomendações básicas para que quem costuma passar muito tempo fora de casa consiga se readaptar e melhorar a qualidade de vida. Além disso, ela aborda um dos mitos sobre dietas equilibradas.


Atente-se ao local em que almoça

O restaurante precisa ser cuidadosamente escolhido, pois existem riscos e dificuldades de se alimentar em lugares onde não há acesso às informações sobre o preparo das refeições.

Busque saber a qualidade e procedência do alimento que está ingerindo.

Tente não comer em excesso, já que os restaurantes oferecem uma grande variedade de opções, com temperos que não são saudáveis, como o glutamato de monossódico

Evite consumir sódio e gorduras saturadas em excesso e condimentos, como pimenta que é irritante da mucosa estomacal, dentre outros.


Evite alto consumo de café

Se você é amante dessa bebida e acaba bebendo de manhã, à tarde, à noite, ou seja, em qualquer horário, você é um viciado em café! Apesar de parecer pouco nociva, a bebida popular no Brasil tem cafeína, que danifica o cálcio dos ossos e contribui para a formação da gastrite.


Tente não pular refeições

O ideal, e sempre recomendado pelos nutricionistas, é que sempre se faça todas as refeições. Por conta da rotina corrida, muitas vezes deixamos de fazer alguma refeição. Porém, é sempre importante priorizar as refeições diurnas. No período da noite o metabolismo está mais lento e não precisa de uma quantidade grande de energia, considerando que o corpo começa nesse horário a se preparar para o repouso.


Consuma alimentos frescos e naturais

Produtos industrializados? Fuja deles! Além de não alimentarem as células, esse tipo de comida ainda pode provocar no corpo um estado de ansiedade. No horário das refeições, consuma bastante frutas, verduras e legumes, alimentos integrais, castanhas e nozes e frutas secas. Esses alimentos são verdadeiramente os que nutrem o organismo.


Alimente-se na hora certa

O estômago precisa de períodos regulares de trabalho e repouso. Com hábitos regulares e alimento apropriado, o órgão se recupera gradualmente do trabalho exaustivo que exerce no período de digestão, absorção e assimilação.


Dessa forma, não devemos pular refeições, mas também devemos fugir do modismo que nos incentiva a nos alimentarmos a cada 3 horas. Comer no tempo adequado limita os danos provocados pelos temidos radicais livres, visto que quanto mais comemos, mais eles serão produzidos.


Encontre tempo para se exercitar

Apesar da correria do dia a dia, procure separar ao menos 30 minutos para uma atividade física que dê prazer. Adequar a alimentação é essencial, mas a atividade física e nutrição são como “a chave e fechadura”. Juntas e equilibradas, elas evitam a disposição de “doenças alimentares”.


Tome café da manhã

Um bom desjejum é essencial para quem busca uma dieta equilibrada. O que não pode faltar nunca nessa refeição são frutas variadas, aveia (que nos ajuda na saciedade), pães integrais e as oleaginosas (nozes, castanhas e amêndoas etc.). Essas últimas são fonte de gorduras que ajudam na absorção dos nutrientes e formam uma ótima combinação com frutas doces de preferência.


Alimente-se com calma

Ao comer rápido demais inutilizamos alguns processos fundamentais da digestão. Por isso, a dica é: nunca coma uma grande quantidade de alimentos ou faça as refeições com muita pressa. Isso prejudica a saúde e a dieta. Quando, por exemplo, “corremos” com a mastigação, nosso corpo demora para liberar o hormônio da saciedade, a leptina, que é responsável por fazer cessar a fome.


Evite ingerir líquido enquanto faz refeições

O correto é não tomar líquido junto com a refeição. Além disso, é importante interromper a ingestão de água meia hora antes das refeições e retomá-la duas horas depois, quando a digestão, absorção e assimilação já foram concluídas.

 

 

 

 

 

    • Parceiros de Conteúdo

 

logo ABQV p                             logo tricosalus                                  Dell Ambiente