7 dicas para enganar o cérebro e comer menos



em Saúde
7 dicas para enganar o cérebro e comer menos

Sua mente pode te ajudar a comer menos, baseada em cores, aromas e até mesmo em sons

 

Quão satisfeita você fica com sua vitamina de café da manhã ou seu lanche do meio da tarde pode ter mais a ver com o que está em sua mente do que o que está em sua boca. A experiência de comer e beber é influenciada por uma série de fatores surpreendentes, desde o peso do seu garfo até a música em sua lista de reprodução, passando pela forma, tamanho e cor do seu prato.


Este é um conceito que o professor de psicologia de Oxford Charles Spence, PhD, chama degastrofísica - e que pode desempenhar um papel poderoso no que e quanto comemos. O último livro de Spence, Gastrophysics: The New Science ofEating, está repleto de fatos fascinantes sobre como o nosso ambiente leva nossos hábitos alimentares. Aqui estão algumas de suas dicas que você pode começar a usar hoje.

  1. Use menos açúcar em sobremesas caseiras e sirva em um prato branco

"A consideração cuidadosa da coloração de um prato pode ser usado para levar qualquer um de nós a comportamentos menos saudáveis", diz Spence. Pesquisas sugerem que pratos brancos ampliam a sensação de doçura de um alimento. Em um estudo, a mesma sobremesa de morango foi avaliada 10% mais doce quando servida em um prato branco. Com isso você pode diminuir a quantidade de açúcar e adoçante usados no preparo.

  1. Coma seu petisco preferido em um prato vermelho

Se você está tentando reduzir os lanches salgados e crocantes, o vermelho é a cor ideal para o seu prato. O vermelho é a cor dos sinais de paradae as placas vermelhas parecem comunicar um aviso semelhante para diminuir a velocidade. Um estudo que Spence cita descobriu que as pessoas comeram cerca de metade de pretzels de uma prato vermelho do que eles fizeram de um branco.

  1. Segure sua tigela ou prato em suas mãos

Um dos desafios (puxa, talvez o maior desafio) de tentar comer menos é que você não se sente satisfeito com menos calorias. Mas seus sentidos podem ajudar a comunicar ao seu cérebro que você realmente teve o suficiente para comer - e talvez até te convença que você comeu mais do que realmente precisaria, diz Spence.Comece pegando seu prato ou tigela, fora da mesa. "Nossos cérebros não parecem separar o que é comida e o que é prato", diz ele. O peso do prato ou tigela em suas mãos sinaliza ao seu cérebro que sua refeição é substancial e saciante.

  1. Concentre-se em sua comida

"Quanto mais sensações você puser obter da sua comida, mais feliz você estará comendo um pouco menos", diz Spence. Isso significa remover todas as distrações da mesa e mergulhar completamente na hora das refeições: desligue a TV para que você possa ver o que está comendo, cheire seu alimento. O cérebro usa essas sensações para dizer:" É hora de parar agora ".

  1. Visualize-se comendo antes de cavar

Se você tem uma fraqueza por, digamos, batatas fritas (quem não?!), imagine-se comendo um monte delas antes de comer. Uma pesquisa publicada em 2010 sugere que simplesmente imaginar comer um determinado alimento pode reduzir a quantidade que você realmente consome. Os pesquisadores acreditam que visualizar repetidamente você mesmo, comendo um alimento específico, reduzirá seu desejo por isso ao longo do tempo.

  1. Escolha a lista de reprodução certa

Mesmo o seu senso de audição desempenha um papel no gosto e é por isso que alguns restaurantes se encaixaram na ideia de "tempero sónico" ou mudando de sabor através do som. As padarias podem tocar música com doces sons de instrumentos de sopro ou piano tilintante para que eles possam usar menos açúcar em seus doces, diz Spence. Em casa, música mais lenta é melhor do que rápida, já que os tempos de batida podem incentivá-lo a comer mais, diz ele. E quando as músicas são muito altas, você pode não saborear sua comida tão bem, o que pode te fazer adicionar mais aromas não-saudáveis, como sal ou açúcar.

  1. Dê à sua sobremesa um nome “doce”

"Nós raramente pensamos sobre o que chamamos um prato feito em casa", diz Spence. Mas dar o seu nome formal, que inclui a palavra "doce", pode realmente afetar o gosto: "Apenas chamar algo de uma"doce sobremesa"faz com que ela seja mais doce do que se você chamasse de sobremesa apenas, diz Spence. Pode parecer bobo, diz Spence, mas pode funcionar.

 

 

 

 

    • Parceiro de Conteúdo

 

                logo ABQV p