De onde vem a sua dor de cabeça?



em Saúde

Pesquisa aponta situações que mais geram dor de cabeça. Veja também as dicas de quem passa por isso

 


A dor de cabeça afeta 78% dos brasileiros. Segundo Segundo pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência¹, encomendada pela marca Neosaldina para avaliar o panorama da dor de cabeça no Brasil, 95% da população sente dificuldade ou impedimento na realização das atividades rotineiras em função da dor. A amostra com mais de mil pessoas releva que a cefaleia é comum e tem alto impacto na qualidade de vida.


As especialistas Dra. Juliane Peres Mercante, psicóloga especialista em cefaleias e doutora pelo departamento de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, e Bruna Fioreti, coach de vida e carreira e influenciadora focada em conteúdo sobre qualidade de vida, identificaram cinco situações comuns em que gatilhos para a dor de cabeça podem aparecer.

 

Outras razões:


1. Reformas/construções
Nessa fase, a dor de cabeça pode ser comum por conta do barulho constante e cheiros fortes. A Dra. Juliane explica a "importância de reforçar a qualidade de vida na rotina, valorizando a boa alimentação e a prática adequada dos exercícios físicos. Sempre que possível, evitar a exposição ao barulho".

2. Trânsito
Permanecer horas parado no carro, mudanças bruscas de via, pneu furado, entre outros, podem desencadear a dor de cabeça. A psicóloga reforça a importância de evitar o jejum prolongado. "As pessoas resistem melhor à vulnerabilidade e a indisposição quando bem alimentadas e hidratadas, estando mais bem preparadas para um momento que exige concentração e disposição".

Bruna argumenta que, além da questão fisiológica, com os sentidos da visão e audição prejudicados por conta das fortes luzes e barulho alto das buzinas, a irritação é sempre muito frequente. "Com a correria da rotina, ficamos sempre com a cabeça cheia e para conseguir nos desvencilhar da agitação precisamos entrar em uma nova vibração, que pode levar alguns minutos até a diminuição significativa do estresse", comenta.

3. Falta de sono
A insônia é um fator que pode desencadear o estresse e desconforto e, consequentemente, uma possível dor de cabeça. Os brasileiros não passam despercebidos quando o assunto é uma noite de sono adequada. 55% das pessoas dormem de 6 a 7 horas e 24% de 4 a 5 horas; dentre os entrevistados, 60% atribuem a dor à falta de sono.
"Desligar-se dos estímulos do ambiente que agitam, para conectar-se com um relaxamento e descanso de qualidade é realmente fundamental", complementa a Dra. Juliane.

4. Cansaço
Com a rotina corrida e atarefada, o cansaço é outro ponto de atenção. "Técnicas de relaxamento e respiração profunda podem ser úteis para restaurar o equilíbrio. Outro caminho é optar por passeios e momentos ao ar livre próximos da natureza. Com os estímulos mais lentos, o corpo reage em sintonia com o ambiente e se espelha, melhorando o humor e revigorando as sensações", afirma a psicóloga.

A coach de vida e carreira alega que uma maneira de se recuperar do cansaço é prezar pelo autoconhecimento e, dessa forma, mudar o ritmo das atividades. "É preciso entender quais horas do dia cada um rende mais, descobrindo os picos de cansaço para se organizar e se prevenir da melhor forma". 

5. Luz excessiva
A dor de cabeça também pode ser desencadeada com a grande exposição à claridade, ao sol e aos objetos tecnológicos que irradiam luz, como computador e televisão. Segundo a Dra. Juliane, manter a proteção do rosto e dos olhos com a utilização de óculos e chapéus é uma boa dica para prevenção.

 

 

 

    • Parceiro de Conteúdo

 

                logo ABQV p