5 passos para iniciar uma mudança positiva na sua dieta



em Saúde
5 passos para iniciar uma mudança positiva na sua dieta

Fazer mudanças e substituições pode ser benéfico, às vezes é preciso "chutar o balde"


Às vezes é necessário tomar atitudes drásticas. Veja as dicas da escritora e nutricionista Sharon Palmer para melhorar sua saúde e sua boa forma.

 

1. Seja exigente com os carboidratos:

Podemos dizer que o problema não é propriamente a quantidade de carboidratos, mas o tipo que se consome. “Se esbaldar com carboidratos de rápida digestão e refinados – como salgadinhos, docinhos bebidas e pão branco feito de farinha refinada – não é algo muito saudável”, conclui a nutricionista. Esses alimentos elevam rapidamente os níveis de glicose do sangue e estão associados à doenças do coração, diabetes tipo 2 e obesidade.

 

2. Não tenha medo de gorduras:

O nível de gorduras saturadas deve-se manter no mais baixo possível - menos de 10% das calorias diária. Porém, é necessário ressaltar que existem gorduras que são boas para o coração como, as monoinsaturadas e as poli-insaturadas. Essas, são encontradas nas gorduras vegetais, por exemplo, as de oleaginosas, sementes, azeitonas, abacates e óleos vegetais que são benéficas para o coração. É importante incluir uma pequena quantidade desses alimentos em seu cardápio.

 

3. Consuma alimentos da forma mais natural possível:

Reforce o consumo de alimentos integrais, pois esses não são pulverizados e nem refinados. Buscar por alimentos que sejam naturais e minimamente processados – e que tenham ingredientes que você possa identificar a olho nu, faz uma diferença considerável na alimentação. Por exemplo: escolha cenouras e não salgadinhos com cor de cenoura; amêndoas e não barrinhas de cereal sabor amêndoas e etc.

 

4. Faça da variedade um lema:

A variedade no consumo dos alimentos deve vir em primeiro lugar, pois a nossa a saúde depende disso. “Se alguém consome apenas alface-americana e jamais come as folhas verde-escuras da rúcula, da couve e do espinafre, está deixando de obter um monte de vitaminas, minerais, fotoquímicos e proteínas”, conclui. Ou seja, devemos variar ao máximo nossa alimentação para que possamos preencher as pequenas lacunas nutricionais ao longo da semana.

 

5. Tire a carne do centro do seu prato:

Essas refeições que possuem o alimento de origem animal – sobretudo a carne – como centro do prato, são tipicamente americanas e introduzidas em nossos costumes. Porém, esse tipo de alimentação pode levar rapidamente as pessoas rumo à obesidade, doenças cardíacas, diabetes tipo 2 e câncer. Com isso, a dica de Sharon Palmer é que devemos fortalecer nossa dieta com o poder dos vegetais e mudar nosso modo de pensar nas refeições. “Não devemos pensar em frango na segunda-feira e bife na terça. Pensemos em couve na segunda e lentilha na terça”, ressalta Palmer.

 

 

    • Parceiros de Conteúdo

 

                logo ABQV p                                Dell Ambiente