Alimentação e Depressão: como aliviar os sintomas



por Renata Menegatti
em Saúde
Alimentação e Depressão: como aliviar os sintomas

Alimentação e Depressão - 11 milhões de brasileiros são diagnosticados, mas comer bem pode atenuá-la

 

A depressão parece algo distante, que só bate à porta do vizinho, do amigo, do primo, do conhecido, mas 7,6% dos brasileiros adultos são diagnosticados com depressão, o que equivale a cerca de 11 milhões de pessoas.

 

Mas um estudo da Universidade de Las Palmas de Gran Canaria, na Espanha, revelou que seus sintomas podem ser atenuados com uma das necessidades mais básicas do ser humano: comer.


Uma dieta rica em alimentos de origem natural, com pouca ou nenhuma carne vermelha, peixes e distância do fastfood pode ser grande aliada no controle da depressão. Os dados mostraram que aqueles que mantinham uma alimentação mais saudável, acompanhados por oito anos, apresentaram risco 30% menor de desenvolver depressão.

 

Vegetação contra a depressão


Segundo Cristina Ferreira, gerente industrial da Superbom, uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, grãos, cereais, entre outros itens, é capaz de auxiliar na prevenção e no combate de uma série de doenças. “Esses alimentos são ricos em fibras, antioxidantes e nutrientes, consequentemente trazem uma série de benefícios ao organismo, como combater os radicais livres, melhorar a função do sistema imunológico e digestório, entre outros. Também possuem quantidades significativas de vitamina B, ácido fólico e zinco, substâncias com ações relacionadas à depressão”, esclarece.


Com a vida corrida, nem sempre é possível ter refeições completamente saudáveis, a dica é optar por substituições inteligentes, como trocar o refrigerante por sucos naturais, por exemplo. “Ricos em vitaminas, os sucos ainda possuem minerais e fibras, e não contêm conservantes”, destaca.

 

Já a proteína de soja pode ficar no lugar da carne vermelha. “Entre os seus benefícios, possui baixo de teor de gordura, ausência de colesterol, alto teor de fibras e elevado conteúdo proteico”, conclui Cristina.

 

 

    • Parceiro de Conteúdo

 

                logo ABQV p